Washington Olivetto: o futuro da publicidade

O premiado ícone da publicidade brasileira Washington Olivetto traz sua visão analisando o passado, presente e futuro da publicidade.

Washington Olivetto

A live realizada pela Cria School, exclusiva para alunos, ofereceu insights valiosos trazidos pelo domador de palavras Washington Olivetto, sobre o futuro da publicidade.

Nos últimos meses, a ampliação do consumo pelos meios digitais foi impulsionado com a pandemia do Coronavírus (Covid-19). O que antes era um ambiente em sua maior parte explorado pelos jovens, agora foi tomado por outras eras de consumidores que também aderiram à compra on-line. E com isso a intensificação digital deixou ainda mais visível o fenômeno de antecipação e prolongamento da juventude. O que seria isso?

O fenômeno da antecipação faz com que as crianças entrem mais cedo no estágio da puberdade. O prolongamento da juventude faz com que adultos estendam sua juventude por mais tempo. E qual é a consequência disso? Isso transforma os comportamentos, hábitos de consumo e, consequentemente, a forma como ofertamos os nossos produtos e serviços.

Precisamos acompanhar o comportamento desse consumidor que está em constante transformação, cada vez de forma mais acelerada e com desejos mais peculiares em sua experiência.

Diante disso, muitos questionamentos surgem em relação aos desafios e futuro da publicidade. O premiado ícone da publicidade brasileira Washington Olivetto trouxe a sua visão analisando o passado, presente e futuro da publicidade.

Aproveite cada palavra para beber desse publicitário fantástico e tirar seus insights:

Qual é a principal marca que a pandemia vai deixar nas grandes marcas do mundo?

Washington Olivetto:

“Nesse momento, as grandes marcas do mundo, as melhores, são aquelas que estão se preocupando muito mais em informar, do que vender. Esse é o momento onde a informação ficou muito melhor e mais importante para as grandes marcas do que a persuasão.”

Quais dicas você dá para quem está começando nesse mundo de marketing e publicidade?

Washington Olivetto:

“Eu acho que, no fundo, elas são sempre as mesmas. Tenha algum talento. Algum talento é importante. Tenha alguma sorte, sorte no sentido de fazer escolhas corretas. E trabalhe muito, muito e muito. A mistura de algum talento, de alguma sorte e muito trabalho constrói um grande profissional.”

Você acredita que a inteligência artificial poderá assumir o papel criativo do marketing e da publicidade?

Washington Olivetto:

“Não acredito de maneira alguma. Na verdade, é óbvio que quantificar e metrificar coisas é muito, muito, muito bom. Diria sensacional. Mas você só pode quantificar e metrificar o que gerou um resultado, o que aconteceu. E para gerar um resultado, para acontecer, antes de tudo você tem que saber persuadir. O que acontece é que uma série de empresas, particularmente um grupo de assessorias no mundo inteiro, tentam pegar a parcela de lucros, de dinheiro que é da publicidade, para suas áreas vendendo a ideia de que metrificamos, quantificamos, temos inteligência artificial. Tudo maravilhoso, mas se não seduzir, não acontece coisa nenhuma.”

Qual a principal dica para integrar uma estratégia de campanha de branding nos meios on e off-line?

Washington Olivetto:

“A principal dica para entregar uma estratégia de campanha de branding nos meios on e off-line é ter uma grande ideia central. Na verdade, toda e qualquer comunicação e cada vez mais ela tem que ter uma brilhante ideia central que tenha a capacidade de adquirir a característica de cada uma das mídias. Então não importa se é on ou off-line, se tiver uma grande ideia e essa ideia depois puder ser transportada com a mesma naturalidade e talento para diferentes mídias vai dar certo.”

Você acredita que o tempo das agências de publicidade full service está chegando ao seu final?

Washington Olivetto:

“Eu não gosto dessas expressões clichês, tipo agência full service. Agências de publicidade, na verdade, só existem duas: as boas e as ruins. As médias são ruins também. Essa história de ser full service ou não, no fundo é um clichê para ganhar um dinheirinho. Uma grande agência de publicidade, ela pode ser específica para uma área, ou pode fazer muitas áreas diferentemente. O que eu acho é que esse modelo dessas agências antigonas e gordas, se dizendo competente quando na verdade têm os rótulos, esse modelo está chegando ao fim sem dúvida nenhuma. “

O que te impulsionou lá no início para ser publicitário?

Washington Olivetto:

“O que me impulsionou para ser publicitário foi simples, e eu diria que essa talvez seja uma boa definição de vida. Eu acho que todos nós nascemos para fazer alguma coisa bem feita na vida. Mas somos poucos aqueles que temos a oportunidade ou sorte de descobrir qual é essa coisa. Por isso que são poucos os bem sucedidos e felizes nos seus trabalhos.”

Quais características o publicitário precisa ter para se destacar atualmente?

Washington Olivetto:

“A característica que o publicitário atual precisa ter hoje é igualzinha aquela que ele sempre precisou ter. Desde lá da pré-história, da minha história, quando eu comecei ou quando começaram os meus antecessores. Um grande publicitário, ele é construído pelo fato dele gostar mais da vida do que da publicidade. Ele se realimentar de coisas da vida: da música, da literatura, da pintura, das esculturas, das artes, de tudo isso. Um grande publicitário é aquele que se realimenta de vida, e aí cria uma publicidade feita de vida, que ele devolve pra vida transformada em publicidade. Aí ele se transforma em um profissional bem sucedido.”

Essa última resposta certamente me marcou. Em meio a uma vida tão atribulada, que nós publicitários temos, deixamos de viver a vida e respirar o melhor dela, e em consequência isso acaba afetando nossas referências e criatividade.

O texto me trouxe muitos aprendizados com as palavras maravilhosas do Olivetto! Você também se inspirou e quer mais dicas de como ser um bom publicitário? Leia os textos Como ser bom antes de se formar e 10 erros que todo publicitário novato já cometeu. Além de, claro, acompanhar os nossos próximos posts! Nós queremos te preparar para o futuro da publicidade.

0 Gostei disso
0 Não gostei disso

(Redatora Publicitária)

Formada em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Gestão da Experiência do Consumidor pela ESPM e uma pessoa que ainda acredita na humanidade.

Comentários