Verdadeiro exemplo de como trabalhar temas complicados

Jardim Cemitério da Ressurreição

Tem jobs que você pega e se descabela, olha para o briefing e vê que está definitivamente “ferrado” por não conseguir uma abertura para trabalhar o cliente. No decorrer do processo a criação acaba desandando e você coloca a culpa no cliente porque não tinha como ser trabalhado de forma criativa. Sério, depois do trabalho desses profissionais, qualquer um fica com vergonha de falar em “não ter possibilidades”.

Nosso país é rico em profissionais talentosos, o povo brasileiro é abençoado. Aqui, nós fazemos o impossível ser possível. Até fazer uma página de cemitério se tornar engraçada! Quem diria?

Quando se fala em morte, a energia é pesada, já rola um clima chato. Só que ao se tratar da página do Cemitério Jardim da Ressurreição, os limões amargos do segmento do cliente se tornam uma puta limonada! Não estou brincando, é sério mesmo. Utilizando-se de sacadas criativas, eles trabalham muito bem o seu mercado em paralelo com o humor, sem ser ofensivo com um tema tão delicado como o da morte.

O Cemi, apelido carinhoso utilizado pelos seus seguidores, conquista o coração e as risadas de quem os segue. Os seguidores se sentem tão envolvidos que resolvem também participar das brincadeiras deixando mensagens nas avaliações da página e inbox neste clima descontraído que os profissionais utilizam para trabalhar o relacionamento da marca com os seus clientes, quer dizer, futuros clientes (risos). Confuso isso, né? Tem gente que já pediu até para ser enterrado lá e quer franquia em outros estados. Imagina?

Só para deixar vocês com água na boca desse humor gostoso da página, vai um aperitivo do trabalho dessa galera:

Até temas específicos e causas como o combate a LGBTfobia e o Dia do Orgulho LGBT fazem parte da criatividade desses profissionais:
Que tal falar sobre a cremação e o atual momento de crise que o nosso país está passando? Um tema complicado, né? Olha como eles tiram de letra!

Logo ao saber sobre esse trabalho, tive que ir conferir, e não pude deixar de me divertir com tanta criatividade e bom humor! Por isso, fizemos uma entrevista com eles via chat do Facebook para sanar algumas curiosidades nossas e dos nossos leitores admiradores desse trabalho.

Quem são ou quem é o profissional por trás do Cemitério Jardim da Ressurreição?

A CJFlash é a agência responsável pela conta. Temos uma equipe de 10 social media. No Cemitério, são duas pessoas: um designer e um SM.

Qual cidade e estado a empresa se localiza?

Teresina – PI (Piauí).

Foram vocês que correram atrás dessa conta ou o próprio Cemitério Jardim da Ressurreição entrou em contato? (Se eles entraram em contato, qual foi a reação de vocês, de primeira, ao saberem que o cliente, era um cemitério?)

O Jardim da Ressurreição é uma das 13 empresas do Grupo Geraldo Oliveira. A agência CJFlash já atendia algumas delas tanto em redes sociais, quanto em offline. Como já conhecíamos o Jardim. Estar nas redes sociais foi um desejo do cliente.

Como ocorre a aprovação do conteúdo da fanpage?

Temos total liberdade para criar os posts, que não precisam ser enviados para o cliente aprovar. O cliente raramente interfere, a não ser quando tem um conteúdo que ele quer que seja divulgado.

Como é o processo criativo de vocês para um tema tão delicado?

A gente se baseia muito no que já vem dando certo, no tipo de conteúdo que os seguidores mais gostam. Também recebemos muitos dicas inbox.

Quais os desafios de se trabalhar este tema?

Criar um conteúdo bacana, dentro do tema morte/cemitério, que seja apelativo e que não ofenda ninguém nem desrespeite os familiares que tem parentes enterrados no Jardim.

Já se surpreenderam com alguma mensagem inusitada na fanpage?

Os fãs do cemi mandam inbox quase todo dia, sugerindo posts, dizendo que adoram a página, mandando algum link que eles acharam a cara do Cemi ou querendo fazer entrevista com a gente.

Em assuntos mais comuns, já existem críticas. Como é trabalhar esse tema no dia a dia e como vocês realizam o gerenciamento de crise?

Até agora tivemos poucas reações negativas. A grande maioria adora o conteúdo, mas já tivemos alguns posts polêmicos. As pessoas criticaram. Avaliamos e decidimos apagar (até por sugestão dos seguidores). Não temos nenhum problema quanto a isso. Só não apagamos comentários.

Qual é a parte mais satisfatória em realizar esse trabalho com o Cemitério Jardim da Ressurreição?

É muito divertido. O mais legal é receber o feedback dos fãs. Todos aqui na agência já ficam esperando eu postar para ler os comentários.

Quanto tempo vocês trabalham a conta do Cemitério Jardim da Ressurreição e com quanto tempo vocês começaram a ver o engajamento com as postagens?

A página tem pouco mais de um ano. Há cerca de um ano, mudamos completamente o tipo de conteúdo, mais voltado para o humor. Antes era posts reflexivos, com frases motivacionais que não geravam repercussão. Aí começamos a crescer. A gente nunca imaginou alcançar essa repercussão.

A agência ainda acrescenta:

O grande objetivo da página não é vender jazigos. Sabemos que é um produto difícil de vender. Na verdade, queremos quebrar o tabu que envolve a morte; fazer com que as pessoas a encarem como uma consequência natural da vida.

Ainda tem um bônus com uma entrevista em áudio com mais curiosidades sobre o trabalho desses criativos realizado pela aluna Clarissa Fortes, do curso de jornalismo da UFPI. Obrigada por disponibilizar esse material para nós! 😊

Ouça a entrevista agora

Para quem não conhecia e quer acompanhar, curta Cemitério Jardim da Ressurreição e também a página da agência que realiza esse trabalho lindo, a CJFlash. Muito bom conhecer um trabalho legal como esse.

Se conhece trabalhos assim, manda para gente pelo Fale Conosco aqui no blog! Precisamos expor mais a criatividade desse povo brasileiro lindo. 😍

23 Gostei disso
0 Não gostei disso

(Redatora Publicitária)

Estudante de Publicidade e Propaganda formada em Tecnologia em Petróleo e Gás. Redatora Publicitária apaixonada pela propaganda e amante da leitura, e fundadora do portal publicitário que vai além para se destacar em um mercado em constante transformação.

Comentários