O que ninguém te conta sobre o mercado publicitário

Publicidade e propaganda

Fala aí meus galos!

Como já devem ter ouvido em nossas lives ou stories no Instagram, somos do interior do estado do Rio de Janeiro, Região dos Lagos. O lugar é maravilhoso, cheio de praias, solzão, tem aquela cerveja estupidamente gelada e ainda dá para andar de chinelo de dedo numa boa. Em contra partida, é completamente diferente do mercado publicitário de São Paulo, onde as coisas acontecem e falam de publicidade como estivessem pedindo um cafezinho na padaria. A maioria das universidades e escolas criativas em São Paulo preparam os alunos para esse mercado competitivo e altamente exigente. Os estudantes aprendem técnicas para realizarem campanhas e se preparam para ganhar prêmios, enquanto estamos aprendendo o básico para trabalhar em agências locais.

Se você tem aquele puta tesão em trabalhar em grandes agências e está cheio de vontade para desbravar o mercado de São Paulo, irá sofrer bastante com o choque de realidade se não estiver preparado. Conhecer esse mercado, muitas vezes, é um tanto incomodo e indigesto. Você vai se sentir um merda, desculpa o termo. Em certos momentos vai estar exatamente como esta imagem do post, tentando se encaixar em algo que parece muito distante e inacessível, mas é melhor conhecer essa realidade do que viver uma mentira. Saiba onde você está, para chegar onde deseja.

Vá aos festivais que te apresentam o mercado publicitário, como o festival do Clube de Criação. Há três anos consecutivos estou presente, e todo ano recebo uma nova porrada que acrescento como experiência profissional. Este ano, em especial, por estar quase me formando e vivenciar o festival com olhos mais voltados para as oportunidades nas agências. O meu desejo de ir morar em São Paulo e trabalhar nas agências de lá, começou com o próprio festival do Clube. Quando fui pela primeira vez, fui nocauteada pela dura realidade do mercado publicitário de São Paulo, o ambiente e ensino são completamente diferentes de onde moro. Quando voltei para casa, foi muito ruim durante alguns dias, mas essa dura realidade me fez acordar para onde eu estava e queria chegar. No ano seguinte, tinha colocado em prática o projeto que incomodava a minha mente, o Universitário Publicitário, e também estava mais alerta para o que acontecia no mercado publicitário, já conseguia conversar com os estudantes sobre os assuntos que circulavam no meio. No terceiro ano (2017), resolvi dar mais um passo, inscrevi uma peça na Categoria Estudante do festival. Foi muito bom ter um briefing de um cliente conhecido. Infelizmente, não consegui ficar entre os finalistas mas, valeu a experiência. Acabou se tornou uma peça querida do meu portfólio. Veja abaixo:

Quando saímos da zona de conforto e vamos para o pólo da publicidade, vemos o quanto o nosso ensino pode estar bem distante do exigido e como isso dificulta ingressarmos nessas agências. Sim, em certos momentos é um tanto frustrante. Muitos de vocês devem passar por isso, ter o desejo de sair das suas cidades e buscar o mercado grandioso de São Paulo mas, infelizmente, não estão sendo preparados para essa busca profissional. Quem não faz parte das grandes escolas criativas, sabe o quanto é preciso percorrer para chegar até onde se deseja. Os profissionais publicitários falaram muito em inclusão de gênero e diversidade, inclusive nas agências, mas creio que seja necessário pensar também em inclusão social, oferecendo espaço e olhando para profissionais que não possuem condições de pagar o ensino de instituições de ensino tão caras (que possuem parcerias com grandes agências) para se prepararem, mas tem amor, tesão e muita vontade pelo que fazem.

Existe muita gente querendo mudar, mas são poucos que se movimentando para isso. Conhecer esse mercado exige buscá-lo, é preciso saber quais tipos de profissionais ele deseja; os assuntos que estão em pauta; quais campanhas estão se destacando em Cannes Lions, no anuário do Clube de Criação; eventos importantes que estão acontecendo no meio; quais revistas, jornais, livros, sites e blogs podem auxiliá-lo a compreender esse mercado tão encantador e ao mesmo tempo voraz e desleal.

A realidade apresentada na universidade é bem diferente da realidade vivenciada no mercado publicitário em São Paulo, muito mais exigente do que te contam em sala de aula. Se você quer estar nele, precisa conhecê-lo.

Estivemos imersos no ambiente louco e movimentado de São Paulo, completamente diferente do nosso dia a dia. Isso é assustador e ao mesmo tempo maravilhoso! Neste ano, o festival do Clube de Criação aconteceu nos dias 16, 17 e 18 de setembro, tendo como pauta assuntos que estão sendo abordados nas mídias e consequentemente, pelo mercado publicitário, como inclusão de gênero, diversidade e tecnologia. Em todas as mesas, um desses assuntos estava inserido, direta ou indiretamente. Profissionais de agências conceituadas, de grandes marcas e veículos debatendo sobre o assunto e colocando o seu ponto de vista. Confesso, algumas mesas foram bem quentes! O que aguçou a busca pelo senso crítico sobre os assuntos debatidos.

Então, esteja atento a esse mercado e os assuntos debatidos nele. Prepare-se para o que você deseja o quanto antes, pois a realidade ainda é bem dura para quem se prepara. Imagina para quem está dormindo?

14 Gostei disso
0 Não gostei disso

(Redatora Publicitária)

Estudante de Publicidade e Propaganda formada em Tecnologia em Petróleo e Gás. Redatora Publicitária apaixonada pela propaganda e amante da leitura, e fundadora do portal publicitário que vai além para se destacar em um mercado em constante transformação.

Comentários