GROWTH HACKING: 5 dicas de como aplicar

Growth Hacking

O conceito do Growth Hacking surge para salvar os profissionais da publicidade, que encontram hoje o seu maior desafio em conseguir meios de fazer seus clientes ganharem relevância e visibilidade dentro de mercados extremamente competitivos.

A internet é um enorme facilitador na captação de clientes e leads, mas ao mesmo tempo traz para os consumidores uma quantidade de opções nunca antes vista, tornando muito mais difícil para nós, publicitários, mantermos o público engajado e fiel às nossas marcas.

Dentro desse cenário, temos um conceito que promete tornar menos amedrontador o processo de crescimento e, por isso, está ganhando cada vez mais relevância na área: o Growth Hacking.

Comecemos com os hacks.

O termo criado por Sean Ellis, que nada tem a ver com hackers e invasões de sistema, vem da ideia de simplificar ou otimizar processos para adquirir ganhos de produtividade e resultados melhores, semelhantemente aos famosos Life Hacks que ficaram tão populares nas redes.

Entretanto, o Growth Hacking está longe de ser um conceito trivial. Uma das ideias centrais de todo o processo é tomar decisões que estejam baseadas em dados para que elas sejam mais efetivas dentro do seu negócio, seja ele uma startup ou um cliente que precisa de um crescimento sustentável.

Dentro de grandes empresas, isso significa integrar setores para coletar e interpretar dados durante todo o processo, transformando esses dados em ações com a finalidade de tornar a jornada do cliente uníssona, desde o momento da aquisição do produto/serviço até o pós-venda.

Mas como aplicar esse tipo de técnica trabalhando sozinho ou com uma equipe pequena, você deve estar se perguntando. Por isso, nós vamos te dar 5 dicas para aplicar o Growth Hacking na sua marca!

Vamos ao que interessa.

1. Coletar dados é tão importante (ou mais) quanto conseguir clientes.

Vai implementar um processo novo? Então pense em como você conseguirá coletar dados sobre o funcionamento dele.

  • O seu público está interagindo bem com esse novo processo? Por quê?
  • O novo processo gera mais leads para o seu negócio? Esses leads são mais ou menos qualificados que os anteriores?
  • Existe algum ponto desse processo que pode ou precisa melhorar?

Todas essas perguntas só poderão ser respondidas, de fato, com testes, afinal, grande parte do Growth Hacking passa por gerar hipóteses a partir de dados e então testá-los para saber se elas se sustentam ou não.

2. Evite objetivos subjetivos demais.

Aumentar o número de vendas e a quantidade de clientes é sempre ótimo, mas tornar isso um objetivo pode fazer com que todo o processo fique subjetivo demais. Ao invés disso, deixe que essas metas sejam consequência dos objetivos que você escolher.

Na hora de optar por um norte, foque em etapas que estejam em deficiência ou precisem de uma atenção extra: aumentar o número de leads qualificados, aumentar a taxa de retenção dos clientes, aumentar a taxa de atividade dos clientes já convertidos, etc.

O caminho para alcançar esses objetivos mais diretos é muito mais claro, com menos distrações e o ganho que eles trazem contribuem imensamente para as metas gerais de venda e aumento de clientes. Portanto, pense nisso na próxima vez que for fazer um planejamento estratégico!

Pense fora da caixa.
Coloque a mente para funcionar!

3. Os detalhes fazem a diferença.

Chega a ser clichê, mas tudo que é grande, não ficou grande da noite para o dia. Sendo assim, você não vai sacar do bolso nenhuma solução milagrosa que te traga resultados incríveis na calada da noite.

Antes de implementar ideias mirabolantes, otimize os processos que você já tem. Faça-os melhores e mais fortes, e então, com uma boa base, ficará mais fácil implementar novas ideias aos poucos. É como o velho ditado já diz: “A união faz a força.”, um grande case é formado de vários pequenos processos funcionando bem juntos.

4. No Growth Hacking, todo o processo é importante.

Quando o assunto é Growth Hacking, não existe fazer as coisas pela metade. Pense no início, meio e fim do seu processo e dê atenção a ele em sua totalidade. Claro, você vai focar em uma parte de cada vez, mas isso não significa concentrar toda a atenção em apenas uma parte do processo.

      A captação de clientes pode estar excelente, mas se os clientes captados estão tendo um grande número de evasão, é importante olhar para as partes da sua marca que ainda estejam com um funcionamento abaixo do ideal. O trabalho não acaba com a conquista do cliente, ele apenas muda de foco.

Growth Hacking é análise.
Analise cada detalhe do seu processo

5. Evite passos maiores que as suas pernas.

É até engraçado dizer isso, mas inúmeras empresas hoje quebram por crescerem rápido demais. Como isso pode acontecer, você pode estar se perguntando. E eu te respondo: você precisa entender o momento e a estrutura da sua marca.

Crescer também exige planejamento. Um cliente, nos dias atuais, que encontra uma experiência ruim em uma nova marca, dificilmente voltará a consumir dela. As opções no mercado são enormes, e se você não tiver estrutura para suportar o seu crescimento mantendo o bom nível de atendimento da sua marca, isso pode acabar sendo mais prejudicial do que se manter na mesma posição.


Gostaram das dicas? Certifiquem-se de seguir o UP nas redes sociais para não perder o nosso conteúdo! Buscamos sempre trazer informações, insights e inspirações sobre o mundo da publicidade de forma leve, tornando a sua atualização no mercado um processo menos complicado. 😉

1 Gostei disso
0 Não gostei disso

Graduado em publicidade e propaganda, amante do mundo nerd em tempo integral e de culinária nas horas vagas. Bons hábitos geram boas ideias.

Comentários