10 erros que todo publicitário novato já cometeu

dicas-para-publicitarios-novatos-erros

Começo de carreira é sempre um campo minado em qualquer área de atuação. Isso acontece ainda mais se você não tem um “padrinho/madrinha de carreira” te explicando sobre  as nuances da sua profissão que não são ensinadas na faculdade. Isso faz com que muitos entrem no mercado completamente despreparados, porque ficam ansiosos para começar a trabalhar logo com aquilo que amam e acabam pulando a etapa do amadurecimento profissional por pura pressa. Se você está aqui lendo esse texto, é provável que você esteja tentando ir na contramão dessa lógica, aprendendo e evoluindo antes de se atrapalhar na frente dos clientes e colegas de trabalho. Então vamos ao que interessa:

Erro número 1: Achar que já está pronto

Esse é o erro que acontece em todas as áreas da indústria criativa e já aconteceu com quase todos os profissionais que conheço (inclusive eu). Você pesquisa na internet sobre o curso que quer fazer, passa no vestibular, tem duas semanas de aula e já está prontíssimo para bater na porta do dono daquele supermercado com a fachada horrorosa na rua da sua casa. Mas não é assim que as coisas funcionam. Ainda que você esteja no 4º período, você precisa entender que só andou um pedacinho do caminho. Nem a metade. Porque um publicitário não se faz com aulas apenas. Um publicitário se faz com carreira.

Erro número 2: Romantizar a profissão

Que atire a primeira pedra quem não entrou na indústria criativa pela boa fama de avaliações tranquilas, as melhores festas da faculdade e o mito do eterno ócio criativo. Se você está bem no comecinho da sua carreira, pode ser inclusive que você ainda esteja nessa fase. Amar sua profissão é ótimo, sério, mas a paixão cega atrapalha e muito seu desenvolvimento profissional.

Erro número 3: Viver em uma ilha

Por não saber como tudo funciona, o profissional novato se sente inseguro em perguntar sobre o mercado. Fica com vergonha de falar com seus veteranos e professores e se acomoda em não saber e achar que precisa se aventurar pra descobrir tudo sozinho. Mas você não é uma ilha e não precisa replicar essa lógica. Aprender com as vivências dos outros profissionais é uma dica valiosíssima e pode te livrar de muitas dores de cabeça.

Erro número 4: Se acomodar

Okay, esse é um erro que os profissionais “velhos” também cometem, mas o que importa é você não começar com esse erro (assim é mais difícil que ele se torne um vício). O que você aprende na sala de aula é 5-10% de tudo o que você precisa saber pra se tornar um bom profissional. Não fique satisfeito em ser 10% de um profissional de qualidade. Procure cursos, leia artigos, pesquise tendências, siga 300 páginas de empresas que fazem o mesmo que você. Analise o mercado, fale com quem já atua, ponha a mão na massa. Só assim você conquista a carreira que almeja.

Erro número 5: Achar que só tem 1 jeito de fazer o que faz

Você conquista o tão sonhado primeiro estágio. Passa alguns meses aprendendo ao lado de profissionais mais experientes, que te ensinam do básico aos truques que vão agilizar seu trabalho. Aí você pensa “pronto, agora eu sei como fazer”. A verdade é que você agora sabe UM jeito de fazer. Conforme você vai preenchendo seu currículo, percebe que há muito mais nesse mar que chamamos de indústria criativa e que você pode fazer a mesma coisa de dezenas de jeitos diferentes. Estar aberto a aprender novas maneiras de fazer o mesmo é inclusive um exercício mental imprescindível para quem trabalha com a criatividade.

Erro número 6: Pensar em desistir toda semana

Se você ainda está em dúvida se é isso mesmo que você quer da vida, mesmo depois de um ano de curso, já passou da hora de você encontrar algo que seja a sua âncora. Pensar em desistir não é errado, mas a energia que você gasta se dedicando a esse tipo de pensamento ocupa o tempo que você tem parar criar suas vantagens competitivas no mercado.

Erro número 7: Não saber a importância do networking

Networking é a sua rede de contatos profissionais e é ela, principalmente, que vai ser responsável pelo nome que você tem/terá no mercado publicitário. Cada contato que você faz como publicitário (seja com seus colegas de turma ou com seus professores) tem a maior das importâncias para a sua carreira, portanto construa aliados desde já. Seu nome será sempre seu melhor portfólio.

Erro número 8: Fazer das reclamações um hábito

É certo que o mercado publicitário não é o de remuneração mais justa, que algumas empresas possuem cargas horárias abusivas e que alguns patrões são negligentes com o bem estar dos funcionários, mas isso nunca deverá ser desculpa para que você não faça seu trabalho com excelência. Reclamar demais vai te manter constantemente desmotivado, e motivação é essencial para o desenvolvimento da sua carreira.

Erro número 9: Ser irresponsável

Esse é um erro comum entre novatos de todas as carreiras. Você precisa ter maturidade para entender que todas as suas atitudes vão repercutir no seu desenvolvimento profissional, desde matar aula pra ir no bar a deixar de ler os textos recomendados pelo professor. Tenha responsabilidade com seu futuro.

Erro número 10: Ter um repertório medíocre

Criatividade não nasce pela abiogênese. É preciso muito trabalho duro para construir um repertório rico, que é o único terreno fértil possível para o crescimento de ideias novas. A criatividade é a combinação de ótimas ideias (já desenvolvidas) e novos contextos. Quanto melhor for o seu repertório, melhores serão as soluções que você irá desenvolver para os desafios que surgirão na sua carreira.

Espero que essas dicas contribuam para um bom início da sua carreira. O mercado publicitário precisa de gente que comece certo. Como você está começando?

12 Gostei disso
0 Não gostei disso

Apaixonada por conhecimento compartilhado. Formada em Comunicação Social e fundadora do Publicitário Freela, um projeto que apadrinha profissionais de publicidade e design ensinando a eles os caminhos certos pra se construir uma carreira freelancer. Sou também Diretora de Planejamento Estratégico da Otus Agência Digital, um pouco nômade e convicta de que posso fazer do mundo um lugar melhor.

Comentários